+55(31)3261-4028

Idioma:

A fascinante sociedade das abelhas

A fascinante sociedade das abelhas

Sendo um exemplo de organização e cooperação, as abelhas são seres com uma funcionalidade única na natureza. Dentro da colmeia suas decisões são tomadas de forma consensual através de estímulos químicos, visuais, auditivos e táteis. E cada membro, seja a rainha, os zangões ou as operárias, desempenha um papel específico e essencial para a sobrevivência e prosperidade da colônia.

A Rainha: O Centro da Colmeia

A rainha é a figura central e mais importante de uma colmeia. Ela não só garante a reprodução da espécie, mas também a harmonia e organização da colônia. A rainha é facilmente identificada devido ao seu tamanho maior e por sempre estar acompanhada por uma corte de operárias que a alimentam com geleia real, da qual é responsável por tornar ela rainha (veja mais aqui). Biologicamente, sua principal função é a postura de ovos, sendo a única fêmea com capacidade reprodutiva na colmeia. Socialmente, ela mantém a ordem através da produção de feromônios que impedem o desenvolvimento sexual das operárias, mantendo a estrutura social intacta.

Curiosidade: Caso apareça outra rainha na colmeia, ambas lutarão até que uma morra.

Zangões: Os Machos da Colmeia

Os zangões são os indivíduos masculinos da colmeia, mais largos e fortes que as operárias, mas sem ferrão ou capacidade de coletar néctar e pólen. Sua função única é fecundar a rainha durante o chamado “vôo nupcial”. Equipados com aparelhos sensitivos excepcionais, eles podem identificar rainhas virgens a quilômetros de distância. Porém, após o seu propósito ser cumprido, ele morre.

Operárias: A Força de Trabalho

As operárias são fêmeas cujo aparelho reprodutivo não se desenvolve, tornando-as estéreis. Elas são menores em comparação às outras castas e constituem a maior parte da colmeia, com números que variam entre 50.000 e 80.000 indivíduos. As operárias desempenham todas as funções vitais para a manutenção da colmeia, divididas em diferentes papeis:

  • Faxineiras:

Responsáveis pela limpeza da colmeia, garantem um ambiente saudável e higiênico para todos os membros da colônia.

  • Nutrizes:

Encarregadas da alimentação das larvas e dos cuidados com a rainha, produzem geleia real através de suas glândulas hipofaringeanas funcionais.

  • Engenheiras ou Obreiras:

Construtoras dos favos e das realeiras, trabalham a cera produzida por suas glândulas cerígenas ativas.

  • Guardiãs:

Defendem a colmeia contra intrusos e ameaças, garantindo a segurança da colônia.

  • Campeiras:

Coletam néctar, água, pólen e resinas, essenciais para a produção de mel e outros produtos.

Cada uma dessas funções é realizada conforme as transformações sucessivas que ocorrem nos organismos das operárias ao longo de suas vidas seguindo exatamente a ordem descrita.

É com este sistema complexo e eficiente que podemos ver a incrível força complexidade da natureza e como seres tão pequenos têm sua importância para o ecossistema global.

FONTES:

SANTOS, Cynthia. Abelhas (2) – Na sociedade da colmeia há rainha, operárias e zangões. Disponível em: <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/ciencias/abelhas-2-na-sociedade-da-colmeia-ha-rainha-operarias-e-zangoes.htm>

ZANUSSO, Jerri. APOSTILA APICULTURA. Disponível em: <https://wp.ufpel.edu.br/apicultura/files/2011/04/Apostila_Apicultura.pdf>

Veja também

plugins premium WordPress